SOBRE O PROJETO

Em cada viagem, temos a
oportunidade de transformar
nossa jornada em uma
floresta de esperança.
#PassagemVerde

O que é o
projeto e qual o
seu objetivo?

O Projeto Passagem Verde, uma iniciativa do Busão Legal e do SETPESP (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado São Paulo) com suas empresas associadas, e têm como missão compensar as emissões de gases de efeito estufa (GEE) emitidos durante suas viagens, promovendo ações ambientalmente responsáveis.

Sabemos que sete árvores têm a capacidade de capturar uma tonelada de carbono nos primeiros 20 anos de vida. Por isso, o projeto Passagem Verde dedica-se ao acompanhamento cuidadoso de cada árvore plantada, assegurando que cresçam fortes e saudáveis. Além disso, oferecemos aos passageiros a oportunidade de acompanhar suas cotas e árvores através de nossa página. Uma maneira transparente e responsável de cuidar no meio ambiente

Razões para se juntar ao

Projeto Passagem Verde

Impacto Ambiental Positivo: Ao aderir ao Projeto Passagem Verde, você contribui diretamente para a neutralização das emissões de gases de efeito estufa, promovendo um ambiente mais saudável e sustentável.

Reflorestamento Local: Suas cotas ambientais resultam no plantio de árvores nativas em bacias hidrográficas do Estado de São Paulo, ajudando na preservação da biodiversidade e na mitigação dos impactos das mudanças climáticas.

Transparência e Acompanhamento: Oferecemos um processo transparente, permitindo que você acompanhe o progresso do projeto e a evolução das árvores plantadas através de nossa página.

Crise Hidrológica: Sua participação direta contribui para a redução da crise hidrológica em São Paulo, impactando positivamente na disponibilidade de água na região.

Área de Proteção: As áreas de plantio abrangem ribeirões, córregos e cachoeiras, essenciais para a contribuição aos rios Atibaia e Jaguari, fontes vitais de água para a população de Campinas e regiões circunvizinhas.

Preservação da Mata Atlântica: Ao apoiar o Passagem Verde, você ajuda a proteger as áreas remanescentes de Mata Atlântica, onde são realizados os plantios do projeto, preservando espécies animais e vegetais raras e ameaçadas.